Se, na associação com o Estado, o Direito Moderno busca sua legitimação política, na associação com a Ciência, ele busca sua legitimação cognitiva.

As duas associações geram subprodutos que, de alguma forma, territorializam o direito e demarcam seu campo próprio de juridicidade.

Na associação entre direito e Estado, o subproduto gerado é a lei.

Na associação entre direito e Ciência, o subproduto gerado é a técnica.
 

  Todavia, nesse processo de demarcação de juridicidade, os subprodutos lei e técnica acabaram tornado-se mais poderosos do que a própria categoria de direito.

A categoria de direito, por seu turno, foi ironicamente conduzida à condição de dependente de seus próprios subprodutos.